Aprenda como boicotar, dinheiro não é tudo Avi!

A medida das marcas é um marco importante na escalada de esforços dos anunciantes para que as companhias tecnológicas adotem mudanças em relação ao conteúdo publicado nas redes. Valor Online

As marcas alemãs de roupa esportiva Adidas/Reebok Puma interromperão suas propagandas no Facebook Instagram em julho, juntando-se à lista de marcas que tomaram uma decisão semelhante em nome do combate ao discurso de ódio nas redes sociais. Estado de Minas

A Unilever, dona de muitas marcas de produtos domésticos como o sabonete Dove, a maionese Hellmann's e o chá Lipton, soma-se a uma lista crescente de companhias que estão boicotando o Facebook por períodos de tempo variados, como Verizon Communications, Patagonia, VF Corp., Eddie Bauer e Recreational Equipment.



A marca Dove, uma das maiores do mundo, que produz no Brasil desde 2002, lançou uma propaganda profundamente racista, repetindo o mesmo absurdo que já havia cometido em uma propaganda em 2011, que coloca mulheres negras como “sujas” em contraposição ao padrão de beleza e higiene branco, ou seja, um padrão que não reflete a realidade da maioria das mulheres no Brasil, que são negras, mas reflete o que significa o racismo, o mito da democracia racial e a ideia de que por ser negra nós mulheres somos inferiores às mulheres brancas, e com o uso dos seus produtos iríamos ficar “limpas e bonitas”, reafirmando a divisão entre mulheres negras e brancas. ESQUERDA DIÁRIO

Um das poucas fábricas do produto no mundo, se transformando num centro exportador de Dove para toda a América Latina, uma oportunidade para a Unilever, a dona da marca, produzir mais explorando a mão-de-obra brasileira, umas das mais baratas na divisão internacional do trabalho, marcada pelo racismo e o machismo nos postos de trabalho.

A Coca-Cola foi mais longe que a maioria dos anunciantes, e afirmou que vai suspender os gastos de publicidade em todas as plataformas de redes sociais por pelo menos 30 dias – incluindo Facebook, Instagram, Twitter, YouTube e Snap.


University of Virginia history professor Grace Elizabeth Hale points out in a New York Times op-ed that Coca-Cola kept their products away from African-Americans for years. While Pepsi deliberately marketed to black customers. JORGE RIVAS - COLORLINES

John Pemberton, an Atlanta pharmacist, invented Coke as a kind of patent medicine, it was in fact his second drink. His first, an 1884 invention called French Wine Coca, was a copy of a popular French wine that contained cocaine. But in November 1885, just as the product began to sell, Atlanta outlawed alcohol sales.
Across the nation, support for prohibition was often tied to the desire by native whites to control European Catholics, American Indians, Asian-Americans and, especially in the South, African-Americans. It gave police officers an excuse to arrest African-Americans on the pretext of intoxication.

Até a década de 1950, os afro-americanos não tinham direito a voto, eram segregados socialmente e compunham a parcela mais pobre da população norte-americana. Luta histórica

Organizações como a Liga Antidifamação (ADL) e a associação de defesa dos direitos dos afroamericanos NAACP, pediram aos anunciantes que boicotem o Facebook durante julho para pressioná-lo a regular melhor os grupos que o utilizam para incitar ao ódio, racismo ou violência.

Facebook anunciou que começará a marcar postagens com discurso político que violem suas regras e tomará outras medidas para evitar a repressão a eleitores e proteger minorias contra abusos.

As ações do Facebook tiveram uma queda de 8,3% na sexta-feira (26/06/2020), uma perda de US$ 56 bilhões (R$ 306,8 bilhões) do valor de mercado da empresa., segundo a agência Bloomberg, com essa desvalorização, o presidente da companhia, Mark Zuckerberg, viu sua riqueza pessoal recuar US$ 7,2 bilhões (R$ 39,4 bilhões).

O Facebook, no entanto, declarou que não toma decisões políticas por causa da pressão das receitas, e um porta-voz disse que as mudanças são uma decorrência do compromisso feito por Zuckerberg de se preparar para as próximas eleições.

O jovem Avi Schiffmann construiu o site ncov2019.live que atualiza em tempo real o avanço do novo coronavírus em cada país do mundo, em dois meses, a plataforma gratuita já teve mais 700 milhões de acessos, de olho no sucesso da iniciativa, uma empresa ofereceu US$ 8 milhões (R$ 45 milhões) para o jovem, que recusou a oferta alegando que “dinheiro não é tudo” e que ele queria apenas “ajudar as pessoas”, sem visar o lucro em troca.


“Essa era apenas a parte do contrato para ter a propriedade do site, eu seria obrigado a continuar trabalhando nele por quanto tempo eles desejassem, não teria controle sobre propagandas e pop-ups, que poderiam ser até mesmo para imitações de máscaras n95. Isso me impediria de ter as conexões e oportunidades que já venho tendo”, explicou.

Boicoiteze-se: OS HERÓIS ANÔNIMOS QUE EMPRESTARAM SEUS CORPOS À LUTA PELOS DIREITOS CIVIS NOS EUAPARABÉNS NESTLÉ 2LÍDERES NA POLUIÇÃO PLÁSTICA MUNDIAL!?!, DORIA CONVERSINHA, FLÚOR REDUZ O QI?JURUÁ BEBE GASOLINA?!?CASES SEBRAE: BANCO PÉROLA, HERSELF E SUMÁMONÓLOGO AO PÉ DO OUVIDO / BANDITISMO POR UMA QUESTÃO DE CLASSEMERMAIDSCLIENTE PREFERIDO DO BRAZIL


Comentários

Postagens mais visitadas